Adicionado ao cesto
  1. Home Brother
  2. Blog Brother Portugal
  3. Transformação digital
  4. 2022
  5. Como é que os transportadores beneficiam da 5G e da telemática?
Blog 3 - GettyImages-1263557902

Como é que os transportadores beneficiam da 5G e da telemática?

A telemática é uma tecnologia complementar que combina telecomunicações e TI. As suas potenciais utilizações são diversas e não se limitam ao setor do transporte, mas abrangem também o controlo remoto de sistemas técnicos e redes de abastecimento, comércio eletrónico e trabalho à distância, por exemplo.

No transporte rodoviário, a telemática inclui aspetos tão diversos como a navegação por GPS, sistemas automáticos de assistência ao condutor e localização por GPS de veículos, cargas e reboques. Os sistemas são utilizados tanto nos veículos como nas instalações de empresas de transporte para fins de gestão de frotas. Um sistema telemático consiste em pelo menos um sensor ou unidade de localização, uma forma de transmitir os dados que recolhe, bem como software para processar e exibir a informação obtida.

Potencial da telemática

Os sistemas telemáticos oferecem às empresas de transportes a oportunidade de aumentar significativamente a eficiência e, assim, reduzir o custo global de possuir e operar uma frota de veículos.

Isto deve-se principalmente ao facto de a telemática para gestão da frota conduzir a uma racionalização profunda do trabalho administrativo envolvido. O processamento automático de dados conduzirá à gestão digital da frota no futuro, o que reduzirá as tarefas diárias demoradas. A base legal para as faturas eletrónicas de transporte foi estabelecida em 2008 com um protocolo adicional à Convenção sobre o Contrato de Transporte Internacional de Mercadorias por Estrada (CMR). Entretanto, 29 países - incluindo o Luxemburgo, Países Baixos, França, Portugal, Espanha, Dinamarca, todos os Estados Bálticos, Roménia e Irão - assinaram o protocolo. Como tal, no futuro, haverá menos documentação na cabina do condutor.

Outra vantagem importante da telemática é que os sistemas permitem aos expedidores gerir as frotas de forma mais eficiente. Isto significa a seleção de rotas válidas para GPS e a monitorização de limites estabelecidos legalmente, tais como, períodos de repouso, o que leva à prevenção de erros e multas. Com as informações que podem ser recolhidas a partir de um veículo conectado à rede, podem ser tiradas conclusões sobre o estilo de condução, como por exemplo se o condutor tende a efetuar manobras perigosas ou conduz de forma ineficiente em termos de consumo de combustível. Isto abre o potencial para aumentar a segurança da condução e reduzir o consumo de combustível.

Por último, mas não menos importante, os códigos de falha do motor podem ser monitorizados remotamente e as medidas para reduzir os custos de manutenção podem ser iniciadas proactivamente. Da mesma forma, ao exibir dados como os níveis de refrigerante e óleo, é mais fácil assegurar que os veículos de uma frota são sempre mantidos em boas condições de circulação.

Enfrentar um mercado confuso

Até agora, o potencial da telemática tem sido explorado apenas por alguns transportadores. Por um lado, é um mercado confuso e, por outro, os preços podem ser elevados. As empresas correm o risco de escolher um fornecedor que subsequentemente requer ajustamentos individuais complexos ou dispendiosos, cujos efeitos poderiam ter consequências financeiras durante anos. Por conseguinte, os transportadores decidem frequentemente investir em veículos novos em vez de em sistemas telemáticos.

As empresas precisam dedicar tempo e recursos suficientes se decidirem que querem introduzir um sistema deste tipo.

Em que medida pode o 5G trazer valor acrescentado às empresas de logística?

No contexto da introdução da norma 5G, que foi concebida para ajudar a dar o salto para uma cadeia de distribuição verdadeiramente conectada, os camiões inteligentes têm uma presença crescente.

O 5G é uma extensão da rede LTE. A principal vantagem é que quantidades maiores de dados podem ser transferidas em menos tempo. Isto significa que é possível transmitir relatórios a cada segundo, em tempo real, em vez de apenas a pedido.

Devido ao aumento da disponibilidade dos dados e à redução dos atrasos nos pedidos de transmissão de dados, a qualidade das previsões e estimativas pode aumentar significativamente.

Pela sua própria natureza, os sistemas telemáticos são otimizados para transmitir uma quantidade limitada de dados e não requerem necessariamente uma largura de banda de 5G. Não se preveem grandes alterações nas áreas de gestão de frotas ou monitorização de reboques até 5G. Contudo, existem algumas perspetivas interessantes para as áreas da condução cooperativa, automação e Internet das Coisas (IoT).

Internet das coisas

Através da utilização de dispositivos de banda estreita IoT (NB-IoT) e redes de sensores, aos pequenos dispositivos que requerem pouca energia pode agora enviar-se-lhes mensagens de estado ou ajudá-los lê-las. Com 5G, por exemplo, as funções de rastreio de paletes, assim como a transmissão de mensagens de estado sobre vibrações, intervalos de temperatura, etc., poderiam estar disponíveis como padrão. Outra vantagem do 5G é que os relatórios de estado podem agora ser solicitados a partir dos armazéns que anteriormente eram difíceis de obter via rádio.

Numa entrevista com a revista de comércio Verkehrsrundschau, Wolfgang Inninger, especialista do Instituto Fraunhofer, dá um exemplo prático do futuro da telemática usando 5G. Ele explica que a transmissão de dados em tempo real torna possível reunir um número crescente de contentores logísticos como uma rede e mantê-los continuamente em linha com relativamente pouco investimento financeiro. É portanto possível ligar em rede e localizar cada reboque, contentor e palete numa frota inteira. Este objetivo, que anteriormente se encontrava em dificuldades devido a erros técnicos ou porque não era economicamente viável, está agora ao alcance da mão graças ao avanço do 5G.

O controlo logístico não monitorizado também é possível agora devido à possibilidade de uma melhor organização do processo de transporte. Por exemplo, certas tarefas, como a abertura de uma fechadura num contentor, podem agora ser feitas em linha, o que significa que já não é necessário que o colaborador esteja no local.

Gestão de equipas de condução e estacionamento

Wolfgang Inninger vê um potencial significativo na área da condução cooperativa, ou seja, na comunicação entre veículos. Se um veículo detetar uma obstrução na estrada, como gelo, um engarrafamento ou chuva forte, os veículos atrás dele poderão reagir a tempo e abrandar, evitando situações perigosas e manobras bruscas de travagem como resultado.

Em última análise, a automatização conduz a uma maior segurança nas estradas e a menor carga para os condutores.

A rede 5G não irá oferecer todos os serviços possíveis durante a noite. Inicialmente, o enfoque será na banda larga e mais tarde nas aplicações em tempo real. Inicialmente, estes poderiam permitir que os veículos sem condutor viajassem a baixa velocidade. Num futuro próximo, a automatização pode ser esperada em certas funções de condução, tais como veículos sem condutor que operam em circuitos fechados, incluindo portos, fábricas e terminais.

É também de esperar uma melhoria adicional na gestão do estacionamento. A dificuldade em estacionar poderia ser gerida mais eficientemente através da comunicação entre os veículos e os próprios lugares de estacionamento. Com a ajuda do 5G, é possível transmitir relatórios de estado sobre níveis de ocupação nas áreas de serviço rodoviário e criar previsões de quando os camiões vão estacionar e partir, para que os condutores possam utilizar esta informação antecipada no planeamento de rotas.

Conclusão

Nos próximos dois a três anos, uma parte significativa de utilizadores começará a usar a tecnologia 5G. As possibilidades que resultarão em termos de construção de redes para logística aumentarão a digitalização do transporte rodoviário e, como efeito secundário, a importância dos sistemas telemáticos. Num futuro próximo, não será possível imaginar a digitalização do transporte rodoviário sem esta tecnologia.

Mais de Transformação digital

Também lhe pode interessar...

Error: Generic Text label 'Back to top' not set for language 'pt-PT' (Site: 'MAIN-PT').