Adicionado ao cesto
  1. Home Brother
  2. Blog Brother Portugal
  3. Identificação
  4. 2021
  5. Que tipos de etiquetas necessita o setor da logística?
Que tipos de etiquetas necessita o setor da logistica

Que tipos de etiquetas necessita o setor da logística?

O uso da etiquetagem generalizou-se numa grande diversidade de setores pela sua versatilidade de aplicações. Podemos ver etiquetas no comércio para indicação de preços, em instalações para sinalizar ou inclusivamente no que comemos para detalhar os ingredientes. Isto é assim graças aos seus benefícios na hora de mostrar informação, automatizar processos ou melhorar a eficiência.

No setor da logística, o uso de soluções de identificação ajuda a simplificar o fluxo de trabalho de maneira precisa e a aumentar a produtividade, já que mediante a utilização de etiquetas é favorecida a rastreabilidade desde o armazém, durante o transporte e até que o envio chegue aos seu destino final.

Os profissionais deste setor devem conhecer os diferentes tipos de etiquetas que têm disponíveis e considerar que tipo é o mais adequado para as suas necessidades.

5 tipos de etiquetas necessárias no setor logístico:

  • Etiquetas descritivas – Este tipo de etiquetas ajuda a detalhar o conteúdo de uma embalagem, enumerando as suas características principais ou informação relevante para o utilizador. Desta maneira, para o profissional do armazém ou para o utilizador que o recebe é mais simples identificar o conteúdo da embalagem;
  • Etiquetas com códigos de barras – Nos códigos de barras é incluída toda a informação sobre um produto ou envio: data, peso, origem, etc. São muito úteis para a gestão do inventário e do stock, pela sua facilidade de implementação, o seu baixo custo e os seus benefícios sobre o controlo e a gestão dos produtos de um armazém;
  • Etiquetas com códigos QR – Tal como o código de barras, o código QR permite a identificação dos produtos mediante a codificação da informação. Por isso, é outro dos métodos usados no setor da logística para a administração dos inventários. A principal vantagem face ao código de barras clássico é a capacidade para condensar ainda mais informação. Por exemplo, cada vez é mais utilizado para que os utilizadores finais possam descarregar qualquer informação relevante através dos seus smartphones, como tal as suas aplicações podem ir além da utilização no armazém;
  • Etiquetas RFID – O RFID serve-se da emissão de sinais de rádio para identificar cada artigo concreto e distingui-lo como único em relação a qualquer outro, o que reforça a segurança. Para processar a informação contida em cada tag não precisa de operações manuais nem de alinhamento visual, facilitando a identificação do artigo independentemente de onde se encontre na loja, no armazém ou numa palete, etc.
  • Etiquetas de envio ou expedição – Este tipo de etiquetas mostram a informação necessária para que a empresa de transporte se possa encarregar do transporte da mercadoria. Nelas vão incluídos dados básicos como o nome do destinatário e o seu endereço. Também se podem adicionar outras referências relevantes como o conteúdo, peso da embalagem ou dados da empresa remetente, tendo a possibilidade, ao mesmo tempo, de incluir um código de barras para favorecer a sua rastreabilidade.

Seja de que tipo for, as etiquetas continuarão a ser uma ferramenta muito útil para o setor logístico na hora de identificar produtos e gerir e controlar de forma mais eficiente o inventário. Simplesmente há que escolher que tipo de etiquetas se adapta melhor às necessidades do negócio, além da tecnologia mais adequada para conseguir o melhor resultado.

Mais de Identificação

Também lhe pode interessar...

Error: Generic Text label 'Back to top' not set for language 'pt-PT' (Site: 'MAIN-PT').